quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Diário de uma ansiedade 26.08.2014

É mais ou menos como estar dentro de uma panela de pressão. Só que você é o feijão, a água fervendo, a panela, a tampa e o fogo. Você é o que sofre e o que faz sofrer. É o que te condena ao cativeiro. E te queima a pele com fogo e a água pelando. Não é toda essa gente abusiva e cruel e inconseqüente. Eles regulam o fogo, é fato. Mas é só. A pressão que pena e faz penar é você. Sou eu, no caso.
Assim como panelas de pressão, minha cabeça também explode de vez em quando. A pressão que eu exerço sobre mim é destrutiva. Suicida. É um pedido desesperado de socorro. Confuso e incompreensível.
Na rua de casa o alto-falante em cima do carro velho e enferrujado grita: consertamos sua panela, panela de pressão, frigideira, cabo da panela. Traga sua panela, dona de casa.

Quem vai consertar uma panela de pressão que só faz penar? Quem vai me consertar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário