quinta-feira, 5 de abril de 2012

Escolha da minha vida, minha privada entupida.


Você não ama sua cachorra Lulu ou seu gato Teddy. Você não ama aquela mini saia que deixa suas pernas lindas ou aquela calça jeans que valoriza sua bunda. Você não ama seu pai ou sua mãe. Você não ama uma coisa ou outra. Você não tem que amar só o inverno e odiar verão, primavera, outono. Você não sente tesão pelo gato da academia ou pelo primo da sua amiga, pelo Brad Pitt ou pelo Orlando Boom. Você pode querer dar para todos eles. Um de cada vez ou todos juntos. Você escolhe.

É fácil se apaixonar. Eu me apaixono catorze vezes por segundo dentro do ônibus, na fila do banco, no bar da balada. O difícil é escolher se apaixonar catorze vezes por segundo pela mesma pessoa, pelo mesmo sorriso e adorar isso.

É fácil se apaixonar por toda essa esquisitisse fantasiada de originalidade. O difícil é escolher ficar comigo quando toda essa coisa de ser diferente vira um pé no saco e dias de zumbi, ou quando eu choro até pela formiguinha que se perdeu, ou ainda quando a minha carência exige ser amada dez vezes por dia, meu ego acariciado por horas a fio. Difícil é continuar querendo se apaixonar por mim e pelas minhas vintes sms de ansiedade por minuto.

Eu não quero que você me jure amor eterno ou que me diga com palavras bonitas que eu sou a única mulher de seus olhos. Eu quero que você me escolha para dividir a cama, mesmo podendo ganhar qualquer uma no banco de trás do carro. Eu quero que você tente escolher ficar comigo todos os dias, todas as semanas, até quando não houver mais vontade. Apenas escolhas. Escolhas que são nossas, não suas e não minhas. Eu não quero ser o amor da sua vida. Eu quero ser a escolha da sua vida. 




17 comentários:

  1. voce vai no lolapalooza ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não, querido anon. Você vai?

      Excluir
    2. vo, eu ia te chamar

      Excluir
    3. Como, se eu nem sei quem você é? Haha

      Excluir
  2. Camila, parabéns pelo blog, pela bela maneira que escreve!
    Divido contigo o mesmo sentimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na, muito obrigada pelas palavras! Fico feliz que você goste de me ler!

      Excluir
  3. já eu prefiro amar e ser amada. não apenas escolhida. já que as vezes nossas escolhas devem-se à falta de opção. mas seu texto me fez refletir ... :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É claro que tem que ter amor! Sempre tem! Mas a verdade que chega a um ponto que a gente precisa escolher entre persistir mesmo sem fé alguma (citando Caio, como sempre) ou simplesmente ir para o caminho mais fácil. Bom, às vezes pode não ser opção, apenas falta de amor. Sei lá, né?

      Excluir
  4. sua vida é vazia e seus sonhos são futeis e burgueses
    faça um mochilão pelo Brasil e leve um tapa na cara
    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou seguir seu conselho. Acho que o mochilão que eu fiz pela Europa me deixou mal acostumada. Beijos!

      Excluir
    2. Sim
      voce tava sendo ironica ?

      Excluir
    3. tava, cara, desculpa aí. Não me dou bem com críticas

      Excluir
  5. então faz diario ou desabilita os comentarios
    e mochilão na Europa você não vai ver pobreza, só que é mimada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu sou a vazia e você é mente fechada, meu amigo. Você já fez mochilão na Europa pra dizer que não há pobreza? Ou vai me dizer que você é um daqueles "o Brasil é um lixo, o resto do mundo é perfeito"? Porque, cara, se for isso, gaste seu tempo trabalhando pra juntar grana e conhecer o mundo, ao invés de se preocupar em vir aqui me criticar.
      Faz assim: vou desabilitar os comentários para anônimos. Da próxima vez que você vier aqui, mostra a carinha, bebê.

      Excluir
  6. Volta a atualizar isso menina. É bom de mais.

    ResponderExcluir