domingo, 19 de fevereiro de 2012

"Manual do sexo casual para curtir o carnaval"

 Hm.
"Tenha certeza que você e o parceiro escolhido compartilham o mesmo sentimento" Ok, linda, é como é que a gente faz isso com uma transa à toa se não dá para certeza nem com o namorado de cinco anos?
Minha amiga Robertinha uma vez tava saindo com um tal de João Paulo. Moço meio estranho, mas ela dizia que gostava dele. E o rapaz parecia doidinho pela Robertinha. Mandou até um carro de tele-mensagens lá na porta da escola. Um dia o João Paulo, depois de muita insistência, levou a Robertinha para o motel. Foi a primeira vez dela. Mesmo tendo perdido a virgindade com o uniforme da escola, num colchão sem lençol, e uma barata grudada no cabelo, Robertinha estava apaixonada. A boba tinha certeza que o tal do João ia pedir a mão dela em casamento. Acontece que, depois do motel, João Paulo sumiu no mundo, nunca mais ligou, Robertinha não sabia onde ele morava, onde trabalhava. Robertinha não sabia nem o sobrenome do J.P. A coitadinha sofreu horrores. Mas quem é que noiva na oitava série?

"Procure investigar o histórico do seu alvo". Ah, meu bem, se eu não tô namorando é porque andei investigando muito, né? Eu lembro do Tonhão. Namorei o cachorro por dois anos. Era um amor de pessoa, rapaz trabalhador, bem apessoado. Fazia de tudo pra mim: me enchia de presentes, mandava flores, ligava todos os dias às nove para falar boa noite e me chamar de amorzinho. Falava até em casar e encher a casa de filho. Mas o homem só aparecia de terça, quinta e domingo. Dizia que era supersticioso, que desde pequeno evitava sair de casa nos outros dias - só saía mesmo em caso de enterro de parente próximo -, coisas da vó dele, sabe como é, essa gente antiga sempre enfiando caraminhola na cabeça da gente. Vá procurar um médico da cabeça, Antonio, assim não dá! Sabe que é, benzinho? O médico do convênio só atende às quartas.
Até que, em um sábado à noite, eu fui tomar sorvete na praça com a Robertinha, e vi o filho da mãe cheio de beijinhos com outra. Descobri que a vaca despeitada era mulher dele já tinha mais de anos.  Não, não. Se eu começo a investigar o passado do gostosinho da balada, eu acabo mais seca que o deserto do Saara.
 
"Se você não costuma encarar bem a ideia de sexo sem intimidade, evite" Ai, moça. mas como é que a gente evita alguma coisa naquela vai-e-vem da micareta? É uma loucuuuuura! A Claudinha cantando Ai Se Eu Te Pego e aquele morenão um-metro-e-oitenta-de-pura-gostosura esfregando tudo o que tem direito na gente, aquele calor, a vodka com energético que sobe feito um foguete uuuuh primeiro a gente diz que não, se faz de difícil para manter a pose de boa moça, sabe como é, mas depois iiiih dá não, viu?
Carnaval de 1998. Parece até que foi hoje mais cedo. Começou a tocar Samba, Juliana, samba, Juliana, Juliana não quer sambar, e eu já fiquei toda empolgadinha, muita caipirinha no esquenta do apê do Fernandinho, sabe como é, a gente vai pra avenida já no graaaau. Aí que apareceu aquele loirinho com cara de bebê, aquelas covinhas gostosas de menino inocente, e ai, moça, não teve jeito! Eu não queria, não, sabe, mas ele pegou na minha cintura e me encoxou de tal maneira que eu gritei na minha cabeça, DEUS, ACHEI MEU PRÍNCIPEEEEE! A gente dançou, rala-rolou, beijou na boca a noite tooooda, e depois fomos pro meu hotel. Dormi nos braços dele, ele me falando um monte de coisa bonita no ouvido, aquele cheiro gostoso de homem, aquela carinha de anjinho, aaah, eu estava oficialmente apaixonada. Acordei sozinha na manhã seguinte. Chorei por dois meses e dezessete dias.

"Verifique a constância da pessoa e se ela mantém uma conversa coerente". A senhora não é muito de pular carnaval, né, moça? E quem é que diz coisa com coisa em quatro dias afogados no álcool? Se o cara chega bem pertinho do seu ouvido, ali onde os pelinhos da nuca se eriçam, sabe?, e fala que quer te lamber todinha e depois comer um acarajé nos seus peitinhos, a senhora já tá abrindo as pernas e dizendo vem cá, me come, que eu to prontinha. E cadê a coerência? Carnaval é coisa de carne. Vê bem: CARNAval, CARNE. CARNEval. Ninguém pensa, não, moça. Bom, não com a cabeça lá de cima hahahahaha. Sabe que meu primeiro beijo foi num bailinho de carnaval? O rapazinho tava vestido de pirata e eu de bailarina. Olha só que coisa mais maluca! Uma bailirina nunca cairia de amores pelo piratinha projeto de bandido.
Faz assim, oh, desliga seu computador aí na redação, joga fora esse seu manual bobinho e aparece lá na casa da Robertinha mais tarde. A gente bebe umas biritas e depois vai para a avenida pular atrás do trio do Chiclete. Eu mostro para senhora como é que se curte uma transa bem feitinha no carnaval e segunda-feira a senhora escreve um artigo bala sobre como superar a ressaca moral e os amores de quatro dias. Essa sim será uma matéria útil. Vai por mim, moça.

11 comentários:

  1. aonde voce vai ta amanha ?
    sabe que esse negocio de transar só com quem vai casar é uma forma de vioencia simbolica masculina que infelizmente é tão enraizada que ambos os sexos compactuam de forma que perpetua
    e esse tipo de tradição é a mais dificil de quebrar, mesmo com toda a "revolução sexual dos anos 60-70" ainda se mantem, firme e forte, principalmente no brasil interiorano que voce e pelo menos mais 1,5 milhoes de pessoas vivem
    bom, anyway, diz qual sua programação de carnaval pra gente conversar ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo com você, acho que as pessoas têm mais é que transar quando der vontade; pensamento ultrapassadíssimo esse de casar virgem. Mas, infelizmentee, você também está certa sobre esse povo do interior, e eu, tendo nascido e crescido aqui, confesso que tenho mesmo uma ideia mais careta em realção a sexo. Não que eu chegue ao extremo do casamento virgem e tals, mas rola um certo pudor e aquela coisa de ~ só dou pro cara certo ~.
      Sobre minha programação de carnaval: vou trabalhar! E você, querido(a) anônimo(a)?

      Excluir
    2. ah, lembrando que: o conto é fictício. A matéria "Manual do sexo casual no carnaval" é verdadeira, e eu achei simplesmente hilária essa coisa de manual para transa sem compromisso. I mean, que porra é essa? Se você tá afim de dar pra um desconhecido, vai lá e dá! Não tem que ficar avaliando seus sentimens, os sentimentos do cara etc. DÁ! fim.

      Excluir
    3. sim, eu entendo, por mais que voce não acredito nesse pudor religioso, entrar em confronto com essas instituições é entrar em confronto com toda a sociedade, imagina a vizinha velha te ve com um menino diferente todo dia enquanto ele é o garanhão voce vira a vadia do bairro, ai voce pensa, "sera que minha familia merece isso ?, sera que eu mereço ?"
      claro que não, ai voce ve contra o que(quem) a gente realmente ta, mais eu acho que essa lógica ainda é interiorana, a gente pode vir com argumento do tipo "ah na frança é mais liberal" mentira, na capital talvez, eu tava falando com um frances e ele disse que la, no interior, ainda existe um forte moralismo. Bom se nem os Sans-culottes conseguem se livrar eu não vejo um futuro muito otimista (pelo menos no curto prazo) para aqui
      bom, acho que hoje vo No Canto

      Excluir
    4. É aí que tá! Até o cara que se diz ateu chama de puta a menina que já deu pra fulano e cicrano. A religião fez seu trabalho muito bem durante anos. A própria garota acaba vestindo uma fantasia vulgar e vira o personagem de mulher fácil; o que era pra ser uma noite ou outra de prazer descompromissado se transforma no que ela é.
      Coisa besta. Mas, infelizmente (ou não), no man is an island.
      O que vai rolar hoje no Ncnto? Eles estão vendendo ingresso na hora?
      Bom dia pra você =)

      Excluir
    5. Carnaval
      sei la hahaha, pra falar a verdade nunca fui la
      http://www.nocanto.com.br/carnaval/

      Excluir
    6. Ncnto é um lugar bacana. Não sei quem é você, então não sei se vai gostar, mas eu curto demais o lugar.
      Bom carnaval pra você.
      Volte sempre.

      Excluir
    7. voce me tem no facebook

      Excluir
    8. Say hi, then.
      Não sou a pessoa mais simpática, mas juro que me esforço. Às vezes.

      Excluir
  2. Camila! Tudo bem? Como diria aqui na minha terra que é o "país" do carnaval, eu me embolei de ri do post rsrs :P ótimo conselho para a moça conselheira...
    Bom carnaval então. (:

    ResponderExcluir
  3. Tudo muito bem, e você? Aproveitou o carnaval? Que bom que eu te arranquei algumas risadas nesse feriadão de Deus haha

    ResponderExcluir