segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Breve diálogo matutino com a minha mãe.

- Mãe, você tropeça na porcaria do fio da chapinha, queima meu dedo e a culpa ainda é minha?
- Claro, Camila! Não é pra você ligar a chapinha nessa tomada, eu já disse.
- Você é muito cara-de-pau, mãe!
- É, a culpa é minha mesmo. Se eu não tivesse colocado você no mundo, você não teria nascido assim.

Ser mãe é padecer no paraíso. Ser filha é o que, então?

Um comentário: