quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Eu canso tanto a mim.

Eu simplesmente não me sinto do mesmo jeito. Eu não me sinto do mesmo jeito por nenhum deles. E eu queria realmente sentir. Eu queria gostar. Eu queria que ser amada fosse o suficiente para mim. Mas só ser amada e não amar, e não desejar, é passivo demais. Eu não sou passiva. Eu preciso colocar cada partezinha minha numa coisa para valer a pena. E eu não me sinto fazendo isso por nenhum deles.
Eu não me sinto fazendo isso por ninguém nesse momento.
Não me levem a mal, mas eu sempre achei um puta dum desaforo essa coisa de alguém gostar de mim. Como alguém pode gostar de mim? Quero dizer, eu sou mal humorada para cacete a maior parte do tempo, não acho graça em 99% dos vídeos idiotas do youtube e, na verdade, me sinto desconfortável quando alguém vem com aquela "vê esse vídeo, que engraçado" e tenho frescuras ridículas como não gostar de carne com gosto de carne, ter dor de cabeça com derivados de uva, não dormir com o pé coberto, faço um dramalhão mexicano por pouca bosta blablabla sou chata e não prefiro isso, não prefiro aquilo, tô de TPM: não converse comigo, vejo personagens de livros na rua, leio o horóscopo todos os dias e tenho dois baralhos de Tarot e um jogo de Runas. Acho  mesmo que só um louco masoquista conseguiria gostar de mim. Ou alguém que nunca conversou comigo por mais de 10 minutos e nunca me viu de biquini. Um ser humano normal não teria sentimentos por alguém que tem crises depressivas quatro vezes por semana, fica com sono na balada e consegue dormir mais de doze horas num dia e ainda sentir uma preguiça mortal. Ninguém aguenta uma pessoa tão esquisitinha assim.
Sabe, às vezes eu queria fazer qualquer coisa tipo assistir todos os filmes possíveis um atrás do outro por dias seguidos e não ter que jantar, tomar banho, falar com as pessoas, pagar o cartão de crédito blablabla babaquices da vida moderna. Queria só ficar na minha caminha, no meu quartinho, nesse meu mundinho confortável de quatro paredes e o resto do mundo se quiser continuar vivendo, ok, que se danem. Queria ser só a Mona falando baboseiras para a Mary Jane e bebendo dez copos de leite puro. Queria um louco masoquista para me fazer companhia no dia mais preguiçoso que alguém pode ter. Queria que você fosse um louco masoquista.
Queridos, não desçam da roda gigante girando sem parar. Fiquem seguros aí.

3 comentários:

  1. Sempre há um maso disposto...

    é só você se deixar ver!

    Creia nisso. Se puder.

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu blog, de verdade!
    Está no comecinho ainda, mas vejo que terá um bom futuro pela frente.
    Você sabe se expressar muitíssimo bem, e como sabe! haha
    Mas enfim, espero poder continuar vindo até para comentar um texto, uma imagem, qualquer coisa. (:

    ResponderExcluir
  3. Não se preocupe não, talvez você em meio as confusões e questionamentos... veja que esses que já te amam, amam porque amar é de graça... simplesmente ama-se... apesar de..., mesmo que..., pense nisso e SEJA FELIZ! O QUANTO PUDER! abraços

    ResponderExcluir