quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Só para você saber

Sua voz no telefone falando coisas banais tipo você tá bem, tá de férias, como vai a vida e tudo que eu ouvia era ei, você lembra quando a gente tava junto e eu te amava e você se lembra da gente brincando na cama e depois vendo filmes e mais filmes deitados de conchinha e a minha vontade era de responder cara, esse fim de semana foi uma merda, bom, na verdade tem sido uma merda desde o dia que você não quis insistir em mim, mas esse fim de semana foi ainda pior. Cada metro e cada gesto alheio e cada palavra dita me lembravam aqueles cinco meses. Nossos cinco meses. E quando não lembravam eu pensava exultante não lembrei, não lembrei. Já lembrando. Já querendo. A sua voz no telefone. E eu morrendo de vontade de chorar de saudade, chorar como se isso fosse te trazer de volta, chorar por que eu sei que não vai.
Mas eu não chorei. E eu não vou chorar. Sem essa de a fila-já-andou, eu-não-corro-atrás-de-macho, eu-sou-mais-eu. Que se foda! Sou mulherzinha para caralho e sinto uma puta duma falta de você me agradando e bebendo minha coca e de dormir na sua cama com as suas roupas. To com uma puta duma saudade.
Só para você saber.


Nenhum comentário:

Postar um comentário